sábado, 3 de fevereiro de 2018

Modificações sugeridas pelo vereador Gilvan vão prejudicar corte de terras e construção de escola em Melancias

Vereador Gilvan Alves


As alterações que foram sugeridas pelo vereador Gilvan Alves em dois projetos do poder Executivo irão prejudicar o início do programa Corte de Terras e a continuidade da construção da escola de Melancias, na zona rural de Apodi. As emendas de modificação foram aprovadas na noite de quinta-feira (01), na sessão ordinária da Câmara Municipal.

O primeiro projeto diz respeito à abertura de crédito adicional especial para início do programa Corte de Terras neste mês de fevereiro. O montante no valor de R$ 128 mil seria oriundo do superávit financeiro, ou seja, recursos que sobraram do ano de 2017 e que só podem ser usados com autorização da Câmara.
Já o segundo projeto refere-se à abertura de crédito especial para dar continuidade às obras da escola do distrito de Melancias, no valor de R$ 324 mil. Este montante também seria oriundo do superávit financeiro do ano passado.

Os dois pedidos de crédito foram aprovados, entretanto, com duas emendas de modificação do vereador Gilvan Alves que alteram a origem dos recursos, do superávit de 2017 para recursos de 2018.

O vereador justificou as modificações alegando que não poderia aprovar a abertura dos créditos até que o balanço patrimonial do exercício de 2017 fosse publicado no Diário Oficial.  Entretanto, o balancete da Prefeitura já se encontra fechado e a mesma tem, legalmente, até o mês de abril para fechar e enviar o balanço.

Para o prefeito Alan Silveira, as medidas de Gilvan Alves vão prejudicar o Corte de Terras e a construção da escola de Melancias, porque o município ainda não dispõe de recursos suficientes recebidos neste ano para aplicar nas duas ações.
“A gente passou o ano todo juntando o dinheiro do Corte de Terras e da escola, e agora não podemos usá-lo devido as essas emendas. O dinheiro tá em caixa, mas não podemos usar. Não tenho dúvidas que essas medidas do vereador vão atrasar tanto o início do corte de terras, tão esperado pelo homem do campo, quanto o retorno das obras da escola de Melancias, um sonho da comunidade”, esclareceu Alan.


Agora, o prefeito e as suas equipes contábil e jurídica irão tentar buscar uma solução para amenizar os efeitos causados pelo vereador. Dentre as possibilidades estão o veto das emendas ou o envio de um novo projeto à Câmara de Vereadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário